FacebookTwitterGoogle+Linkedin
Baralho Literário
8
– Ah, eu sei, você terminou o seu namoro.
– Por que todo mundo tem que saber da minha vida?
– Não sei. Talvez porque você escancare a sua intimidade escrevendo as suas crônicas em primeira pessoa, seria isso?
Acho que eu prejulguei mal a moça. Ela não era tão burra assim. E sabia provocar com ironias.Clicando aqui, você ouve a crônica
8
9
E, para encerrar a solenidade, foi ao púlpito um sábio senhor que aparentava ter mais ou menos oitenta anos. Diferentemente dos demais, não expôs uma única vertente e nem salvaguardou uma opinião, apenas esclareceu os elementos, conjecturou e, humildemente, delineou uma gama de hipóteses.Clicando aqui, você assiste ao vídeo com animação digital
9
A
As cores das rosas são ofuscadas pela fuligem
Afores nervosas mãos calejadas, sê-la a origem
De vida mais dura que esmagou o calor da pelúcia
Despida, não pura, apagou, sem amor, chora Lúcia.
(Trecho da transcrição da fala do filme "Mudaram as cores das rosas de Lúcia")
Clicando aqui, você assiste ao filme
A
Clique sobre o baralho!